Conheça quem é Oxum, a Deus da Amor, e qual o poder que ela tem em nossas vidas

Oxum (do iorubá Òşun) é a orixá do rio de mesmo nome que corre na Nigéria, em Ijexá e Ijebu. Foi a segunda mulher de Xangô, mas viveu também com Ogum, Exu, Orunmilá e Oxóssi, de acordo com vários mitos.

Oxum: Deusa do Amor
Reprodução/Internet
Oxum: Deusa do Amor

As mulheres que desejam ter filhos dirigem-se a Oxum , pois ela controla a fecundidade, graças a seus laços com Ìyámi-Àjé (“Minha Mãe Feiticeira”). É chamada de Ìyálóòde (Iaodê) título conferido à pessoa que ocupa o lugar mais importante entre todas as mulheres da cidade. Numerosos lugares profundos (ibù), entre Igèdè, onde nasce o rio, e Leke, onde ele deságua na lagoa, são seus locais de residência. Aí, ela é adorada sob nomes diferentes, com características distintas.

○ Leia mais: Descubra qual é o seu Odú e o que ele significa em sua vida

Em Oxum, os fiéis também buscam auxílio para a solução de problemas no amor, uma vez que ela é a responsável pelas uniões e na vida financeira, tanto que muitas vezes é chamada de Senhora do Ouro, Oxum é a padroeira da gestação e da fecundidade, recebendo as preces das mulheres que desejam ter filhos e protegendo-as durante a gravidez. Protege, também, as crianças pequenas até que comecem a falar

Os seus axés são constituídos por pedras do fundo do rio Oxum, de jóias de cobre e de um pente de tartaruga. O amor dela pelo cobre, o metal mais precioso do país iorubá nos tempos antigo,passou a ser pelo ouro,quando o mesmo se tornou o metal mais precioso.

○  Algumas verdades não absolutas sobre o Tarô

No Brasil e em Cuba, os adeptos de Oxum usam colares de contas de vidro de cor amarelo-ouro e numerosos braceletes de latão. O dia da semana consagrado a ela é o sábado e é saudada, como na África, pela expressão “Ore Yèyé o!” Fazem-se sacrifícios de cabras a Oxum e oferecer-lhe prato de Omolokun (mistura de cebolas, feijão-fradinho, sal e camarões) e de adun (farinha de milho misturada com mel de abelha e azeite doce).

A sua dança lembra o comportamento de uma mulher vaidosa e sedutora que vai ao rio se banhar, enfeita-se com colares, agita os braços para fazer tilintar seus braceletes, abana-se graciosamente e contempla-se com satisfação num espelho. O ritmo que acompanha as suas danças denomina-se ijexá, nome da região da África por onde corre o rio Oxum. É o único ritmo tocado com as mãos no rito kêtu, calmo, balanceado, envolvente e sensual, como a deusa da água doce. É tocado ainda para Logunedé e, algumas vezes para Exu e para Oxalá.

“Ore Yèyé o”, saudamos Oxum
Reprodução/Internet
“Ore Yèyé o”, saudamos Oxum

No Brasil, ela é sincretizada com Nossa Senhora das Candeias, na Bahia, e Nossa Senhora dos Prazeres, no Recife. Em Cuba, com Nuestra Señora de la Caridad Del Cobre.

O arquétipo de Oxum é o das mulheres graciosas e elegantes, com paixão pelas jóias, perfumes e vestimentas caras. Das mulheres que são símbolos do charme e da beleza. Voluptuosas e sensuais, porém mais reservadas que Oiá. Elas evitam chocar a opinião pública, à qual dão grande importância. Sob sua aparência graciosa e sedutora esconde uma vontade muito forte e um grande desejo de ascensão social.

○  Cristais, óleos essenciais e o sagrado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.